Reduzindo a chance de Alzheimer com a MIND diet


De acordo com pesquisa realizada pela Alzheimer’s Disease International (ADI), cerca de 36 milhões de pessoas ao redor do mundo sofrem com a doença. Conhecida por ser a forma mais comum de demência, ela afeta os processos cognitivos do corpo, como memória, linguagem e atenção.

No entanto, um estudo envolvendo quase 1000 participantes num período de 9 anos revelou que uma nova dieta, conhecida como MIND diet, pode reduzir em até 53% o risco da pessoa desenvolver a enfermidade, se seguida à risca. No entanto, quem a seguir de maneira moderada, apresentará uma queda de 35%, o que pode ser considerado um número significativo.

A análise, publicada no jornal Alzheimer’s and Dementia, também sugere que a chance de desenvolver a doença cai à medida que a pessoa segue a dieta. Ou seja, quem está engajado há mais tempo com a alimentação possui ainda menos chances de ser afetado. Sua eficácia ainda precisa ser provada, mas quem segue a MIND diet de forma correta consegue reduzir o risco de outros problemas de saúde, como diabetes tipo 2.

MIND diet

Sobre a MIND diet:

Trata-se de uma fusão entre duas dietas: DASH e Mediterrânea, que chamam a atenção pelos benefícios que causam ao coração. Sua base consiste em 15 elementos, sendo que 10 deles devem ser consumidos com frequência, enquanto os outros 5 não podem estar presentes no cardápio todos os dias. Veja:

No cardápio: folhas verdes, legumes, nozes, frutas, grãos, cereais integrais, peixe, aves, azeite e vinho.

Fora do cardápio (regular): carne vermelha, queijo , doces, alimentos fritos (limitados a menos de uma porção por semana) e manteiga/margarina (menos de 1 colher de sopa por dia).

 

Fontes: everydayhealth.com e abraz.org.br 




Comente

Comentar usando

ou escolha um nome