Fur free: uma moda que vale a pena


A moda ganha tons verdes. A preocupação com o meio ambiente tem levado diversas marcas a abolirem o uso de pele de animais em suas coleções. O caso mais recente é a alemã Hugo Boss, que anunciou, em julho deste ano, que a próxima coleção de Outono/Inverno 2016 será fur free.

 

Conheça outras grifes que também aderiram ao movimento:

Ralph Lauren

A marca, in 2006, mostrou o seu lado “green” e deixou de comercializar roupas com pele de animais após reunião com uma das maiores organizações mundiais, a PETA (People for the Ethical Treatment of Animals).

 

Tommy Hilfiger

A grife se destaca por seu lado sustentável. Com ajuda da mesma organização, Tommy Hilfiger mudou seu posicionamento em 2007 e também se juntou ao “movimento” fur free. No ano passado, foi lançada a solar jacket, que produz energia limpa para recarregar celulares.

 

Calvin Klein

Há anos, a marca se comprometeu a oferecer coleções utilizando material sintético após protestos da mesma entidade. O próprio Calvin Klein se reuniu com ativistas e assistiu a um filme sobre a morte de animais cuja pele era utilizada “a favor da moda”.

 

A PEA, uma organização brasileira de proteção aos animais, destaca, em seu site, a crueldade que eles são tratados, dentro de jaulas sujas e pequenas, e mortos: “Para não danificar a pele, há duas formas mais usuais de abate: a quebra da coluna cervical e a eletrocussão anal (uma ferramenta carregada eletricamente é introduzida no reto, literalmente ‘fritando’ os órgãos internos do animal)”.

 

 

“Fashion is not something that exists in dresses only. Fashion is in the sky, in the street; fashion has to do with ideas, the way we live, what is happening.” Coco Chanel

 

Imagem: lifegate.com




Comment

Comment with

or choose a name